19ª Edição do Minas Trend: Tempo de Mudanças, Inovações e Criatividade

O Minas Trend, maior evento de moda de Minas Gerais e a principal plataforma de geração de negócios do setor no Brasil, chegou em sua 19ª edição, tendo movimentado Belo Horizonte do dia 04 ao dia 07 de outubro (ontem) e trazendo novidades para a temporada de inverno 2017 e algumas para o verão mesmo, no novíssimo sistema “see now buy now”, ou seja, venda imediata. O tema escolhido foi “Aqui se Cria”, fazendo um paralelo entre o barroco mineiro e o modernismo do conjunto arquitetônico da Pampulha, recentemente eleito Patrimônio Cultural da Humanidade.

“Aqui se Cria” também foi o nome da exposição de manequins posicionada no salão de entrada do Expominas, que recepcionou todos os visitantes e participantes com peças de algumas das marcas do salão de negócios. Nesta edição, foram 64 looks produzidos pelo stylist Davi Leite e sua assistente, Luiza Oliveira. Já o cenário foi de autoria de Pedro Lázaro, que incluiu estruturas sinuosas à la Niemeyer, espelhadas e douradas. Gostei muito da paleta de cores (rosé, dourado, off-white, cinza…), de alguns bordados e algumas modelagens. As coroas que ornam as cabeças dos manequins foram feitas por artesãos de Ouro Preto e pelas mães artesãs de Betim com idealização de Mary Arantes. Tudo com uma aura de romantismo e feminilidade.

Um dos looks, inclusive, logo nos remete a uma produção desfilada pela Dior na mais recente Semana de Moda de Paris, onde, pela primeira vez após seus 70 anos de história, a marca estreia sob o comando de uma mulher, a designer Maria Grazia Chiuri.

A escolha de unir barroco e modernismo é comunicar a possibilidade de inovações com preservação da identidade. Essa mensagem reflete a moda mineira, o próprio evento e até a mim mesma. A moda mineira porque esta já é reconhecida pelos ricos bordados, pelo artesanal e pela qualidade, mas também pela capacidade de adequação às tendências; O próprio evento porque mudanças aconteceram  (no mercado, inclusive) e outras foram anunciadas por Afonso Gonzaga, presidente da FIEMG e Marco Antônio Castelo Branco, da Codemig, em entrevista coletiva. Há planos, por exemplo, de o Minas Trend  incorporar outros setores da produção mineira e conquistar o mercado chinês. Ao que parece o Minas Trend está se modernizando e se ampliando, mas seguindo firme em seu propósito de fomentar a industria da moda mineira.

E a mim mesma? A mim mesma porque sigo tendo experiências e desafios novos. A primeira vez que participei do Minas Trend foi na 14ª edição (verão 2015) e depois na 16ª (verão 2016), como assistente de produção ou camareira, vulgo estagiária faz-tudo. Uma experiência maravilhosa. Eu trabalhei no backstage de quase todas as marcas, ajudando onde fosse necessário e possível. Conheci de perto os designers do line-up, o trabalho do stylist, as modelos, maquiadores e cabeleireiros… Tive contato direto com as peças, os truques de produção, essas coisas. Hoje eu estou do outro lado, muito mais como observadora e pesquisadora. Também tive acesso ao backstage, mas somente para observar e analisar. Minha produção agora é de conteúdo e não de imagem ou de produto. Dois trabalhos diferentes, mas que se complementam, não é mesmo?

No primeiro dia dessa edição, além da exposição principal, visitei a exposição de fotos Sempre Modernos, com fotos de Jonas Bragança e a exposição de novos designers da Galeria AMDO, que, para quem não conhece ainda, é uma galeria de moda contemporânea de Belo Horizonte, criada em 2015, situada na Savassi. Jovens designers mineiros, que valorizam o processo artesanal para a criação de vestuário autoral e experimental, expuseram algumas peças dentro do conceito de apropriação da tecnologia pela indústria de moda. A ideia é em conjunto com o estande “Visões da Moda – Projetos de Inovação do Sistema Fiemg”, que trouxe  para o evento uma mostra de dois projetos da Fiemg (Federação de Indústrias de Minas Gerais): o Fiemg Lab e o Laboratório Aberto, ambos visando maior conexão com tecnologias.

Preste atenção aos detalhes dessas peças, que lindas! Eu adoro designs criativos, modernos, que saem do lugar comum. Pudemos observar mix de texturas, sobreposições, estampas gráficas e coloridas, minimalismos, modelagens diferenciadas e peças agênero. Essa exposição com certeza é uma das fontes de maior inspiração do evento.

Esse vestido à esquerda (acima), do designer Dill Diaz,  já foi usado pela fashionista e talentosíssima Karol Conka em campanha da Avon. A diferença é que para a campanha foram usadas outras cores, estampa e styling. Confira que linda:

Outros detalhes da exposição:

Gostei de todos, eu diria que são roupas poéticas até. Mas minha descoberta favorita foi a designer Larissa Cunha, que inclusive compartilhou um pouco do seu processo criativo adicionando fichas técnicas de suas criações.

Também visitei o estande do Senai , que apresentava aos visitantes os cursos, soluções para empresas e alguns trabalhos dos técnicos em moda da instituição.

 

img_0633

E um pouco da exposição Sempre Modernos:

Todas as fotos são de minha autoria e nos próximos posts farei análises dos desfiles assistidos e também das novas marcas e designers que conheci e com quem tive conversas muito interessantes e enriquecedoras. Fiquem ligadxs!

1 comment / Add your comment below

Comentários

%d blogueiros gostam disto: